Reflexão #9 

Memórias que não se apagam

Após 6 anos, estamos novamente em uma terça-feira, 21 de maio. E isso me trouxe memórias que há tempos não vinham à tona, mas estão lá, impressas. Aliás começo lembrando da segunda-feira, dia 20 de maio de 2013, quando passei a tarde no consultório de minha obstetra para uma última consulta de pré-natal, lembro que sai do consultório próximo das 20 hs, pois naquele dia, por 2 vezes, a obstetra teve que sair do consultório e ir à maternidade fazer partos não programados, …Ah, como eu queria que tivesse sido o meu…, lembro de ter comentado isso com minha médica quando chegou minha vez de ser consultada, pois eu não via a hora do Vini nascer, já estava cansada, com um filho de 3 anos para cuidar e um barrigão que pesava bastante. Após 38 semanas e 1 dia, após os exames feitos, coração batendo tranquila e perfeitamente e minha médica dizendo que o bebê estava bem e saudável naquela consulta, resolvi marcar uma cesariana para o dia 23 de maio, quinta-feira. Então, tudo certo, que venha a quinta–feira!!!

No dia seguinte, dia 21 de maio, terça-feira, tudo corria normalmente, rotina normal, filho pequeno brincando sem parar, o qual levei a escola na parte da tarde, e voltei para casa para arrumar pela milésima vez as coisinhas do Vini, que logo estaria chegando. No fim do dia, fui buscar meu primogênito na escola e, logo na entrada, encontrei uma amiga que já tinha feito cesariana e conversamos sobre algumas inseguranças minhas a respeito do parto, pois até então eu só tinha tido um parto normal. Então lembro claramente da minha pergunta se eu iria poder segurar meu filho no colo enquanto estivesse com os pontos da cesariana, …eu estava bem apreensiva com essa possibilidade…, mas minha amiga respondeu que poderia segurar sim, após a cesariana não podemos fazer esforço, mas segurar o bebê não tinha problema algum…aff…na minha ignorância neste tipo de parto fiquei bastante aliviada. Assim peguei meu filho mais velho, que pediu meu colo e me abraçou fortemente para irmos embora, o que não era comum, pois sempre saia correndo na minha frente em direção ao portão da escola ou corria para brincar no parque, mas naquele dia foi diferente.

Chegamos em casa, dei banho no João e comecei a sentir alguns incômodos…o Vini estava querendo chegar. Já eram 19hs, meu marido chegou, falamos que era melhor ir à maternidade. Liguei para minha irmã, que em 5 minutos estava em minha casa para ficar com o João, me despedi do meu filho e disse a ele que o Vini ia chegar, ele negou e disse que o Vini ia demorar para chegar, eu não liguei e repeti que eu estava indo para a maternidade para o Vini chegar, e fomos.

Chegando na maternidade uma outra amiga ligou no meu celular para desejar uma boa cesariana na quinta-feira e então contei a ela que o Vini antecipou e eu estava chegando na maternidade naquela noite de terça-feira, ficamos de nos falar após o nascimento, fiquei de ligar…
E dali para a frente a história começou a mudar, demora na recepção, demora nos exames da enfermagem para fazer a internação, subestimaram minha dor e eu esperei quieta, após a internação logo semblantes de preocupação começaram a surgir e a alegria cedeu espaço para o medo, uma cesária de urgência foi necessária. Não pude segurar meu filho no colo logo que nasceu, mas não por causa da cesariana, e o telefonema que fiquei de dar a minha amiga não aconteceu.

Mas estamos aqui, 6 anos depois, dia 21 de maio novamente em uma terça-feira. Ao longo destes anos muita coisa mudou, muita coisa aprendi, hoje com menos incertezas, menos inseguranças, menos medo, porém mais conhecimento, mais maturidade, mais força, mais coragem, mais certeza de que o trabalho duro e constante traz resultados, certa também de que milagres existem sim, afinal o Vini aqui está com 6 anos evoluindo e mostrando suas capacidades e habilidades dia após dia, superando suas dificuldades com muita força de vontade e alegria, claro que tudo isso não é uma constante, mas o saldo é positivo e isso nos move nesta montanha russa de sentimentos, que nos leva do êxtase a exaustão em curtos espaços de tempo.

Hoje sinto como se começássemos de novo, como se voltássemos no tempo, o que mais desejei durante alguns anos, terça-feira, 21 de maio, não é mais 2013, mas sim 2019, 6 anos depois fechamos um ciclo e iniciamos vida nova, uma nova chance de fazer diferente, se é o psicológico quem manda, então assim será.

Sendo assim, 21 de maio de 2019, aniversário do Vini, 6 anos completos, cheios de histórias para contar, de conselhos para dar e escutar sempre, cheios de amor, de alegrias, de surpresas das mais diferentes origens, repletos de esforço físico e psicológico, conhecendo pessoas importantes nesta caminhada, descobrindo o significado de coisas que jamais tiveram a importância devida, aprendizado constante e Deus nos guiando sempre.

E que venham mais conquistas, mais amor, alegrias, mais ciclos fechados com sabedoria e sucesso. Que venham muitos dias 21 de maio para serem comemorados com o mesmo sorriso de sempre.

INSCRIÇÃO