Reflexão #1

O Cérebro

Esta campanha está me proporcionando coisas que eu jamais imaginei, estou revirando arquivos, fotos, revivendo momentos, sentimentos e desenterrando lembranças. Não que as tenha esquecido, mas estavam já em arquivo morto, dentro do meu cérebro, e isto é fantástico, assim como os terapeutas do Vini dizem “O cérebro é sagrado”, eu concordo, sim, é sagrado, mas também misterioso, e acima de tudo sábio, pois é ele que nos faz arquivar determinadas memórias, deixando na “área de trabalho” apenas aquilo que está realmente em uso e que não deve ser esquecido, o que ainda não foi terminado, o que de alguma forma ainda deve ser lembrado, editado e revisado, até que esteja totalmente e perfeitamente configurado, aí sim, podemos iniciar um outro documento.
O cérebro precisa de um tempo para organizar e acomodar tudo que vivemos e sentimos, isso é natural, não existe imediatismo quando falamos de cérebro, para assimilar um fato novo, uma teoria nova, um ensinamento novo, um exercício novo, uma habilidade nova, um movimento novo…tudo que o cérebro comanda necessita tempo para ser assimilado.
Assim me sinto e assim eu vivo, reviver essa parte da minha história, que contei em 3 partes anteriormente, me fez em um primeiro momento perceber apenas aquilo que meu cérebro me permitia de imediato, aquelas memórias que me trouxeram prazer, que dá gosto contar aos outros e prazer ao reviver tudo aquilo, mas, quando começamos a mexer nas memórias mais profundas, de repente flashs de momentos já arquivados pelo meu cérebro começam a vir à tona.
Hoje me lembrei que não contei a vocês que o Vini foi batizado ainda no hospital no dia 24 de maio, ainda dentro da UTI, não contei que nos dias que o Vini estava na UTI, e eu ainda no quarto em recuperação de uma cesariana, eu não largava uma imagem de Santa Rita de Cássia que uma amiga próxima me deu, pois o Vini nasceu 1 dia antes do dia de Sta Rita. Também não comentei que em um certo dia na UTI a neurologista foi avaliar o Vini e me disseram que o Vini não respondera aos testes, não apresentava os reflexos normais da idade, desespero…,mas logo em seguida uma enfermeira se aproximou, após a médica que tinha dado a notícia sair do quarto, e me disse para ficar calma, que a neurologista havia feito os testes somente 2 horas após ter sido retirada a sedação (que o Vini estava tomando após a convulsão da primeira noite), e me disse que após o efeito da sedação passar ela faria os testes de reflexo novamente por conta dela, (como uma médica neurologista faz testes em crianças ainda sob efeito de sedação???). Enfim, no dia seguinte quando eu cheguei ao hospital a mesma enfermeira veio rapidamente me dizer que o Vini tinha respondido a todos os testes e os reflexos estavam normais, nem preciso falar do alívio que senti.
Vini também fez um eco cardiograma que mostrava uma comunicação entre átrios (cavidades do coração), dito pelo especialista que isso fecharia com o desenvolvimento, mas teve médico que me contou aquilo como um grande problema…
Lembrei também que me falavam que, devido a aspiração do mecônio, todos os órgãos do Vini, de alguma forma, foram atingidos, apenas o coração não…eram exames de sangue diários para acompanhar a desintoxicação de fígado, rins, pulmão, sangue, cérebro…tudo. Vini teve que receber plasma…Nossa!!!, quanta coisa que estava praticamente esquecida…ou melhor, bem guardada para não me incomodar tanto.
Enfim…
O cérebro é sagrado, é mágico, é soberano, é indecifrável, é milagroso e sem limites, por isso não se pode desistir de nada diante de um cérebro, mesmo que lesado, pois ninguém conhece, nem nunca conhecerá totalmente, suas capacidades, ele deve ser respeitado, mas também explorado, desafiado, estimulado, exigido, pois só assim poderemos começar a desvendar seus mistérios, e são os mistérios que nos movem, que me move todos os dias pela recuperação do Vini.

INSCRIÇÃO